A Fundação Nacional de Artes (Funarte), instituição vinculada ao Ministério da Cultura (MinC), promove, até dezembro de 2017, 47 apresentações musicais a preços populares. O objetivo é abordar o panorama da diversidade musical brasileira. As salas da fundação em São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte receberão espetáculos baseados em quatro eixos temáticos: o Funarte em Concerto, que apresenta as várias formações instrumentais e corais característicos dessa linguagem; o Funarte Plural, com grupos da cena independente e contemporânea; o Funarte de Ritmos, que exibe a grande diversidade rítmica brasileira; e o Funarte para Crianças, que incentiva a criação direcionada ao público infantil, para formar novos públicos. O investimento no projeto é de R$ 245 mil.

22 11 2017 dia do músicoNo dia 27 de novembro, na Escola de Música da Universidade Federal do Rio de Janeiro, a Funarte promoverá um painel para debater o papel das bandas civis de música na cultura brasileira. O estímulo a esse tipo de manifestação artística é um das prioridades da fundação, que também promove cursos intensivos de capacitação para regentes e instrumentistas de sopro e de percussão.

Nos dias 14 a 16 de dezembro, a Funarte realizará, em Belo Horizonte, a I Bienal de Música e Cidadania, que irá reunir, em um mesmo espaço, projetos sociomusicais em atividade no Brasil. Um dos objetivos do evento é estruturar e formalizar uma rede de ações sociomusicais que viabilize a circulação, entre as organizações, de professores, regentes, luthiers, gestores e outros profissionais para compartilhar práticas e especializações.

Outro projeto da Funarte/MinC para o setor da música é a reforma das salas Cássia Eller e Klauss Vianna, parte do Complexo Cultural da Funarte em Brasília. A Sala Cássia Eller está fechada ao público desde novembro de 2016 e Klauss Vianna está em funcionamento. O valor estimado para a revitalização e modernização dos dois locais é de R$ 1,4 milhão. O anúncio das obras foi feito em agosto deste ano pelo ministro Sérgio Sá Leitão.

O projeto Songbooks Funarte/MinC – Internacional é outra iniciativa para a área musical. Serão lançadas partituras de música brasileira, música popular, música erudita e bandas de música, que serão disponibilizadas nos sites do MinC e da Funarte, com versões em português, inglês, espanhol e francês, com possibilidade de extensão para o mandarim e o alemão. A expectativa é de que o projeto seja lançado em janeiro de 2018. A ideia é que esse material seja enviado a embaixadas em todo o mundo e que possa ser baixado via internet.

De 23 a 29 de outubro deste ano, a Funarte promoveu a 22ª edição da Bienal de Música Brasileira Contemporânea. Foram realizadas 61 apresentações inéditas – 15 de compositores convidados e 46 selecionadas pelo Prêmio Funarte de Composição Clássica 2016. Os concertos foram realizados no Theatro Municipal do Rio de Janeiro (noite de abertura) e na Sala Cecília Meirelles (demais dias).

Números do setor

O mercado de música gravada no Brasil movimentou, em 2016, US$ 229,8 milhões, segundo dados da Pró-Musica Brasil, instituição que reúne os produtores de discos. O mercado digital cresceu 23%, com base, sobretudo, no aumento das receitas com streaming, que subiram 52,4%. Já o mercado de trabalho do setor musical registrou, de 2004 a 2014, uma expansão de mais de 60% no número de empregados, segundo dados da Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (Firjan).

 Dia da Música

A música é, sem dúvida, o principal ativo cultural brasileiro conhecido fora do país. São vários os estilos musicais surgidos no Brasil, como a Música Popular Brasileira (MPB), o samba, o forró, a bossa nova, o maracatu e muitos outros. A interação com a música é forte tanto para quem consome quanto para quem produz e vive da arte. E o dia 22 de novembro é de comemoração para esse importante estilo artístico. No Brasil, é o Dia da Música. A data foi criada em 1932, no governo Getúlio Vargas.

Assessoria de Comunicação
Ministério da Cultura

Você precisa se cadastrar para participar